29 abril 2010

É possível uma metrópole verde?

Por Reinaldo Canto*




Instituto Mananciais encara o desafio de trabalhar pelo desenvolvimento sustentável no extremo sul de São Paulo.

Se o Brasil por si só é um país de fortes contrastes e desigualdades conhecidas em todo o mundo, a cidade de São Paulo tem na sua região sul, a potencialização desse cenário. O bairro de Parelheiros ocupa 25% de toda área do município, a maior parte dela (mais de 60%) composta de áreas verdes fundamentais para o equilíbrio ambiental de São Paulo. Destaque para os Parques Estaduais da Serra do Mar e da Cratera; para as Áreas de Preservação Ambiental (APAs) Capivari-Monos e Bororé-Colônia e três bacias hidrográficas Capivari, Guarapiranga e Billings responsáveis pelo o fornecimento de água para 30% da população da Grande São Paulo. Ao lado da riqueza e exuberância de sua biodiversidade, convive outra realidade: os mais baixos índices de desenvolvimento humano (IDH) da metrópole, contando entre outros dados, com altos índices de desemprego, gravidez precoce e ocupações irregulares que afetam seus mais de 200 mil habitantes.

O Instituto para o Desenvolvimento Sustentável dos Mananciais, desde a sua formação há 4 anos quando apoiou a realização da I Conferência Científica da Cratera de Colônia, acredita que é possível conciliar desenvolvimento social com preservação ambiental contanto que, para isso, leve-se em consideração os interesses e necessidades da população local.

É preciso que o cidadão se sinta inserido nos projetos voltados para a sustentabilidade e enxergue neles a real possibilidade de inclusão social e progresso pessoal para os membros da comunidade. O verde e a água presentes em seu território, que tantos benefícios trás para a cidade, tem de ser visto pela população como um aliado e não como um inimigo. Ao se alcançar essa meta, o morador local passa a ser o principal guardião das riquezas naturais da região, pronto para preservar e fiscalizar qualquer agressão ao seu patrimônio.

Educação Ambiental e alternativa sustentável

Para cumprir sua missão de trabalhar pelo desenvolvimento sustentável da região de Parelheiros e Capela do Socorro, o Instituto Mananciais teve recentemente aprovado o “Projeto-Piloto Viveiro – Escola Bambu, A Madeira do Futuro”, junto ao Fundo Especial de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (FEMA) para cultivo, manuseio, manutenção de mudas de bambu em viveiro escola que será montado na região. Um dos objetivos do projeto é demonstrar que existem maneiras sustentáveis e viáveis de substituição ao uso da madeira de desmatamento que vem sendo usada principalmente na construção civil. O projeto também prevê ações de educação ambiental em parceria com pequenos agricultores da região, palestras e oficinas práticas de sustentabilidade.

Presença Institucional em defesa da região

O Instituto também obteve uma importante conquista ao obter assento no Conselho Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CADES) da Secretaria do Verde e Meio Ambiente da capital eleito para o biênio 2010/2012 representando a região de Parelheiros. Além do CADES, o Instituto também tem desempenhado importante papel no Conselho Gestor da APA Capivari-Monos, no Conselho Gestor do Parque Linear de Parelheiros no segmento pertencente a entidades ambientalistas, além de participar do Conselho Regional para o Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz de Parelheiros no segmento reservado à sociedade.

Esperamos que o trabalho do Instituto Mananciais continue a conquistar um espaço importante no apoio as causas da população e contribua decisivamente para o desenvolvimento sustentável de Parelheiros e região.

* Reinaldo Canto é Diretor-Executivo do Instituto para o Desenvolvimento Sustentável dos Mananciais, é jornalista, palestrante, consultor e articulista das mídias ambientais


Email: reicanto@uol.com.br

2 comentários:

Taciana Leme disse...

Agora que vcs fazem parte do CADES, convido para participarem da Rede de Gestão Ambiental Municipal. É um espaço recém criado que visa faciliat a troca de ideias e experiências entre gestores ambientais e conselheiros de meio ambiente que atuam nos municípios.
www.gestaoambientalmunicipal.ning.com

flaviocorrea disse...

Reinaldo. Parabéns pelo Blog. Com relação ao tema deste post, creio ser extremamente importante avaliar os problemas da ocupação desordenada do solo, principalmente quando se trata de espaços próximos a mananciais.

Vamos conversar sobre o assunto.

Abraços,
Flávio Corrêa